São Francisco de Assis

04/10/2018

Francisco de Assis, nascido Giovanni di Pietro di Bernardone (João de Pedro di Bernardone) (Assis, 1181 ou 1182 - Assis, 3 de outubro de 1226), foi um religioso e poeta italiano.

Diácono e fundador da ordem que dele então tomou o nome, é venerado como um santo pela Igreja Católica. No dia 4 de outubro, o memorial litúrgico é celebrado em toda a Igreja Católica (festa na Itália, solenidade para a Família Franciscana). Juntamente com Santa Caterina da Siena (Catarina de Siena), foi proclamado o principal padroeiro da Itália em 18 de junho de 1939 pelo Papa Pio XII.

Também conhecido como "o pobrezinho de Assis", seu túmulo é um destino de peregrinação para centenas de milhares de devotos, peregrinos e admiradores a cada ano. A cidade de Assis, por causa de seu ilustre cidadão, tornou-se o símbolo da paz, especialmente depois de sediar os quatro grandes reuniões entre representantes das principais religiões do mundo, promovido pelo Papa João Paulo II em 1986 e 2002, pelo Papa Bento XVI em 2011 e o Papa Francisco em 2016. São Francisco de Assis é um dos santos mais populares e reverenciados do mundo.

Além de seu trabalho espiritual, Francisco, graças ao Cântico das Criaturas, é reconhecido como um dos iniciadores da tradição literária italiana.

O cardeal Jorge Mario Bergoglio, eleito papa no conclave de 2013, assumiu o nome pontifício de Francisco em honra do santo de Assis, primeiro na história da igreja.

Giovanni di Pietro di Bernardone, depois de uma juventude irrequieta e mundana, voltou-se para uma vida religiosa de completa pobreza, chamando-se Francisco fundando a ordem mendicante dos Frades Menores, mais conhecidos como Franciscanos, que renovaram o Catolicismo de seu tempo. Com o hábito da pregação itinerante, quando os religiosos de seu tempo costumavam fixar-se em mosteiros, e com sua crença de que o Evangelho devia ser seguido à risca, imitando-se a vida de Cristo, desenvolveu uma profunda identificação com os problemas de seus semelhantes e com a humanidade do próprio Cristo. Sua atitude foi original também quando afirmou a bondade e a maravilha da Criação num tempo em que o mundo era visto como essencialmente mau, quando se dedicou aos mais pobres dos pobres, e quando amou todas as criaturas chamando-as de irmãos. Alguns estudiosos afirmam que sua visão positiva da natureza e do homem, que impregnou a imaginação de toda a sociedade de sua época, foi uma das forças primeiras que levaram à formação da filosofia da Renascença.

Dante Alighieri disse que ele foi uma "luz que brilhou sobre o mundo", e para muitos ele foi a maior figura do Cristianismo desde Jesus, mas a despeito do enorme prestígio de que ele desfruta até os dias de hoje nos círculos cristãos, que fez sua vida e mensagem serem envoltas em copiosa fé e darem origem a inumeráveis representações na arte, a pesquisa acadêmica moderna sugere que ainda há muito por elucidar quanto aos aspectos políticos de sua atuação, e que devem ser mais exploradas as conexões desses aspectos com o seu misticismo pessoal. Sua vida é reconstituída a partir de biografias escritas pouco após sua morte mas, segundo alguns estudiosos, essas fontes primitivas ainda estão à espera de edições críticas mais profundas e completas, pois apresentam contradições factuais e tendem a fazer uma apologia de seu caráter e obras; assim, deveriam ser analisadas sob uma óptica mais científica e mais isenta de apreciações emocionais do que tem ocorrido até agora, a fim de que sua verdadeira estatura como figura histórica e social, e não apenas religiosa, se esclareça. De qualquer forma, sua posição como um dos grandes santos da Cristandade se firmou enquanto ele ainda era vivo, e permanece inabalada. Foi canonizado pela Igreja Católica menos de dois anos após falecer, em 1228, e por seu apreço à natureza é mundialmente conhecido como o santo patrono dos animais e do meio ambiente.