Reg(g)ina da Itália ou Rainha da Itália

09/12/2019

A equipe da cidade de Reggio di Calabria e do treinador de Mimmo Toscano, escreve o primeiro recorde da temporada.

Após a derrota da Juventus, é a única equipe que não conheceu a derrota em todos os campeonatos profissionais italianos e permanece também na primeiras 3 posições na Europa.

O time da cidade com o mais lindo km do planeta (um passeio espetacular unico ao mundo) ganhou hoje por 1-0 em casa contra o time do Viterbo. Uma vitória que permitiu ao amaranto (assim chamados pela cor roxa (amaranto) da camisa) continuar a corrida solitária no topo da classificação. E, graças à derrota da Juventus no campo da Lazio, projeta o time na história da temporada 2019/2020. O objetivo da equipe da cidade, famosa pelo lindo mar e pelas estatuas dos Bronzi di Riace, no entanto, é outro. Voltar, o mais rápido possível, à série B.

Stretto di Messina
Stretto di Messina

A equipe criada pelo Presidente Gallo é dirigida pelo Domenico (Mimmo) Toscano (que já venceu a série B italiana em 1994-1995 jogando pelo mesmo time) a um técnico especializado em promoções. E os resultados não demoraram a chegar: 14 vitórias, 4 empates em dezoito jogos. 40 gols marcados e apenas nove sofridos. Apenas o suficiente para sonhar com um retorno. Nas margens do Estreito pode acontecer uma Fata Morgana (O estreito de Messina - Reggio Calabria (Stretto di Messina em lingua italiana) é um estreito no mar Mediterrâneo que separa a península Itálica da ilha da Sicília e que liga o mar Jônico ao mar Tirreno. Sua menor largura é de 3,3 km.

Fata Morgana, reflete no mar a cidade de Messina parecendo estar a poucas centenas de metros
Fata Morgana, reflete no mar a cidade de Messina parecendo estar a poucas centenas de metros

No estreito de Messina é comum produzir-se a ilusão óptica conhecida como Fata Morgana (Fada Morgana), que reflete no mar a cidade de Messina na Sicilia parecendo que ela esta a poucas centenas de metros, uma ilusão que os torcedores não querem que aconteça, e na qual o Presidente Luca Gallo investiu com jogadores dos quais alguns estrangeiros entre estes Reginaldo Ferreira da Silva (no passado na Reggina jogaram entre os estrangeiros, alguns de nacionalidades bem exóticas, como o serra-leonês Kallon, o hondurenho Julio César De León e o albanês Erjon Bogdani, e outros, de grande nome como o chileno Jorge Vargas, o argentino Ricardo Verón, o português Marco Caneira e o nacional brasileiro Mozart).

Na mitologia grega, o estreito de Messina-Reggio era o lar de um monstro chamado Cila ou Skylla (hoje existe perto de Reggio Calabria uma cidade turistica maravilhosa com o nome de Scilla), que tinha o corpo híbrido de uma mulher e seis bestas.

Agora, com a chegada da nova liderança, renovado entusiasmo. E a esperança de um futuro para ser pintado em cores e o monstro Cila que assustava na mitologia grega, agora com o nome Reggina assusta os outros times da série C da Itália.

A Reggina, não é apenas imbatível ela viaja com uma média mais alta: Reggina viaja a uma velocidade insustentável, com uma média de 2,5 pontos por jogo. Mantendo essa média, Reggina perderia até chegar aos 90 pontos, record da C, mas em Reggio di Calabria eles se contentariam em voltar a série B, que devolveria a cidades lugar na história do futebol calabrês.

Entre os brasileiros que já jogaram na Reggina temos: Maicon da Silva Moreira (Maicom) Adriano Louzada, Bruno Lança, Emerson, Gleison Santos, Joelson, Josias, Mozart, Paulo Pereira, Rodrigo Ely e Reginaldo Ferreira da Silva.

Parabens a Luca Gallo Mimmo Toscano e todos os jogadores, orgulho dos Reggini emigranti aqui no Brasil e em todo o mundo.

Para saber mais em italiano https://reggina1914.it .

Djávlon