Novo Felipe Neri no Brasil

10/08/2020

Filippo Romolo Neri (Florença, 21 de julho de 1515 - Roma, 26 de maio de 1595) Felipe Neri em português, foi um presbítero, educador e ativista italiano, reverenciado como santo pela Igreja Católica. De origem florentina, mudou-se, ainda muito jovem, para Roma, onde decidiu dedicar-se à sua missão evangélica em uma cidade corrupta e perigosa, para receber o nome de "segundo apóstolo de Roma".

Ele reuniu ao seu redor um grupo de crianças de rua, aproximando-as das celebrações litúrgicas e entretendo-as, cantando e tocando sem distinção entre homens e mulheres, no que mais tarde se tornaria o Oratório, considerado e proclamado como uma verdadeira congregação. pelo Papa Gregório XIII em 1575.

Por causa de seu caráter brincalhão, ele também era chamado de "santo da alegria" ou "bobo da corte de Deus".

Sua vida e ditados são inspirados em Good State, se você puder, um filme de 1983 de Luigi Magni, onde Filippo é interpretado por Johnny Dorelli (ator e cantor italiano), um álbum de mesmo nome do cantor e compositor Angelo Branduardi, a trilha sonora do filme e um drama de televisão de 2011. Paradiso, do diretor Giacomo Campiotti e interpretado por Gigi Proietti (ator na fotografia com crianças).

San Filippo Neri, grande testemunha da fé, inovador nos métodos, mas muito fiel aos princípios da tradição. Teve admiradores ilustres, como seu amigo cardeal Carlo Borromeo. Ele sempre foi um simples padre, que dedicou muito tempo à confissão. O fato de ele vagar pelas ruas para salvar crianças das mandíbulas dos bairros romanos o fez indicar por alguém como o primeiro "padre de rua". Talvez eles fossem realmente como ele os "padres de rua": ele sempre aparecia com sua batina, estava por perto para não fazer discursos ou atrair a atenção dos poderosos, mas para salvar almas. Das honras, mesmo de tipo eclesial, Filipe não se importou: ele até se recusou a se tornar cardeal, respondendo à oferta do chapéu do cardeal com uma frase muito eloqüente: «prefiro o paraíso».

Seja como for, Filippo Neri foi um grande protagonista da era de ouro da Contra-Reforma da Igreja, que deu ao desafio arrogantemente lançado por Lutero acima de tudo uma resposta de santidade. O chefe dos hereges de Wittenberg foi negado de fato pelos grandes santos, pelos místicos, pelos ascetas, pelos padres simples e humildes fiéis à doutrina.

Ainda hoje existem padres capazes disso? Contra a pandemia, a arrogância de poderes e a defesa dos verdadeiros valores da igreja?

No Brasil, perto de sua capital, Brasília, existe um padre polonês, ele é polonês como São João Paulo II, que não tem medo de ninguém e pede aos fiéis que lutem na vida real para defender a vida e os cidadãos brasileiros contra a violência, pedofilia, milícias, alienação parental e claramente contra o aborto.

O Padre Pedro Stepien (Piotr Stepien em polonês), como é chamado pelas milhares de pessoas que o seguem, ama crianças e famílias, defendendo-as com unhas e dentes, apaixonadas pelo presidente brasileiro Bolsonaro, de quem ele teve a promessa de que, se o congresso aprovar a lei do aborto "Ele a vetaria" (é direito do presidente no Brasil de cancelar uma lei do congresso).

Todos os dias em seu carro, agora meio maltratado (como ele diz), ele corre de uma comunidade para outra, independentemente das ameaças de morte recebidas e dos contínuos ataques de forças políticas e religiosas (movidas para a esquerda), recusando como fez Felipe Neri "O chapéu do cardeal "(uma paroquia confortável na Polônia, perto de sua mãe), para buscar o paraíso ajudando crianças e familias brasileiras e o Brasil.

Como jornalista atento, descobri neste padre, Padre Pedro Stepien, a verdadeira mensagem de Cristo e Maria, um homem do progresso, mas fiel à doutrina e aos princípios, ainda capaz de lutar, portanto crendo, que nossa igreja terá futuro , talvez com a ajuda de um novo Felipe Neri, que em suma, em detrimento de sua vida, ainda luta contra o aborto, a pedofilia, a violência e as milícias, porque? .... porque: 

"Ele prefere o Paraíso"

Djàvlon