Maria Grazia Chiuri - Dior Spring/Summer 2019 Paris

24/09/2018

Tudo acontece em uma dança contemporânea, com musica lounge, inspirado em Pina Bausch e Martha Graham, heroínas da dança contemporânea, com 80% de @mariagraziachiuri apostando na leveza com formas simples e cartela de cores sóbria, para o desfile spring/summer da @dior. Escolher sair no primeiro dia em Paris é bom, mas pode ser uma faca de dois gumes, tudo depende do que os outros desfiles tem capacidade de apresentar. Neste a Italiana Maria Grazia Chiuri se superou, com tecidos que apareceram como segunda pele, mesmo nos mais street wear e hip hop. Os tailleurs, com paletós justos, a silhueta godê dos anos 50. Teve bermuda abaixo do joelho com túnicas estampadas mimando os anos 70. Mas também muito tecido telado. Tudo absolutamente Dior, mas com estilo, perfume e criatividade de Maria Grazia. Parece fácil, eu diria, quase roupas para sonhar, simples e complexo, mas coerente, como as pétalas que caíram do alto, e a dança entre as modelos simples , mas espetacular, os corpos nas criações Dior, e os tecidos se adaptando a eles.

Claramente também em Paris como Milão a pochette esteve presente.

As cores militares, cinza-caqui e verde, estão longe do verde brilhante de Milão, mas Paris continua sobria na moda, ainda fora da explosão de cores da Dolce & Gabbana, mexendo na alegria, e Armani passando do cinza ao preto e verde brilhante fluo, @mariagraziachiuri é mais soft, uma Dior entre os anos 50 e 70 diria, mas com muita classe e criatividade.

Cristina Vicente