Fazendinha de Juscelino Kubitschek

24/07/2020

QUEM FOI JUSCELINO KUBITSCHEK?

Simples, humano, compreensivo, solidário, dedicado e fraterno são adjetivos que definem o caráter e a personalidade do Presidente Juscelino Kubitschek.

Era um homem fiel aos seus antigos mestres, aos seus amigos e principalmente a seus princípios: verdade, justiça e democracia.

De sua mãe, Dona Júlia, herdou firmeza e determinação no cumprimento de seus deveres; do pai, João César, a imaginação e o sonho foram características passadas que fizeram parte do homem Juscelino Kubitschek. Junto a essas características, adiciona-se um espírito desbravador e progressista.

O Presidente JK era um nacionalista, um crédulo na capacidade do povo brasileiro, conciliador e extremamente tolerante. Era um trabalhador incansável, tanto que em sua inquietude algumas poucas horas de sono bastavam para estar disposto a continuar suas tarefas.

Porém, também era um homem sempre de bom humor. Gostava de serenata e violão, alegria e otimismo conviviam com ele no dia a dia. Encantava-se com a alvorada, com um fim de tarde e com uma bela noite enluarada. O Presidente Juscelino era uma pessoa extrovertida, que deixava transparecer o que sentia e o que pensava, com vivacidade de espírito que irradiava uma juventude que transcendia a sua idade. Mas, ao mesmo tempo, seu cérebro era maduro, raciocinava com uma velocidade e normalmente concluía o pensamento de seus interlocutores antes mesmo que acabassem de proferi-lo.

Nas vicissitudes da vida jamais esmorecia, nunca desanimava, e encontrava forças para continuar sua missão: levar a democracia e o desenvolvimento a todo o Brasil.

Sua campanha política, balizada no slogan "50 anos em 5″, começaria pelo interior e não pelas grandes capitais como era o habitual. E foi justamente em uma cidadezinha no interior de Goiás, Jataí, que em cujo comício teve de responder à pergunta se mudaria a capital brasileira para o interior, tal como propunha a Constituição. O candidato, com entusiasmo crescente, expunha em sua campanha seu Programa de Metas e anunciava a mudança da capital brasileira, agora incluída em seu Programa e desde então, denominada Meta - Síntese.

Apesar de uma oposição que não lhe dava tréguas, realizadas as eleições Juscelino Kubitschek de Oliveira se elege Presidente da República. Eleito pelo povo, o Presidente promovia confiança na economia e estimulava a estabilidade política objetivando gerar o desenvolvimento nacional e bem-social. Os correligionários políticos o admiravam pela sua liderança sincera, descontraída e cheia de ideais cívicos. Tratava seus adversários políticos e até inimigos com tolerância e desprendimento. Audacioso nos seus planos, administrava-os com otimismo e perseverança. Mantinha rígidos esquemas de controle das execuções, sempre atento às datas de conclusão e avaliação de qualidade.

O Presidente Juscelino Kubitschek era um democrata e gostava de se misturar ao povo para saber e, mesmo sentir, suas necessidades e carências. 

O liberal, o progressista (no entender da epoca), o contemporâneo do futuro conviviam com o cidadão de origem humilde, o Nonô de Diamantina, o Juscelino de Belo Horizonte, o JK que a Nação admiraria em seu corajoso projeto de fazer o Brasil avançar cinquenta anos em cinco.

Na realidade nosso atual Presidente JB pode se identificar no JK pela admiração que a Nação sente por ele em seu corajoso projeto de fazer o Brasil avançar e se tornar o que de fato ja é um pais auto-suficiente e produtor de 1/4 das riquezas deste planeta, distribuindo estas riquezas principalmente para os mesmos brasileiros.

LEGADO E A IMPORTÂNCIA ECONÔMICA E AGRÍCOLA PARA O CERRADO

A Fazendinha JK foi usada como laboratório agrícola em parceria de Juscelino com a Embrapa. Provando que o solo do cerrado corrigido (adubar e calcarizar), pode se tornar um solo fértil, produzindo todo tipo de lavoura. Também foi usada como experimento a irrigação por sulcos já provando que podia se produzir no período da estiagem. Assim Juscelino começa a fazer do Centro Oeste do Brasil, o nosso maior celeiro agrícola. Já comprovado hoje com imensos recordes de produção de grãos.

A FAZENDINHA JK

  • Conheça a última morada do Ex-Presidente Juscelino Kubitschek. A casa é projeto único em zona rural do renomado arquiteto Oscar Niemeyer, o paisagismo que compõe o cenário foi idealizado por Roberto Burle Marx.
  • HISTÓRIA
    • Juscelino Kubitschek em uma viagem à Brasília teve seu pouso proibido pelo governo militar no Aeroporto De Brasília, como a aeronave estava em pane, foi autorizado o mesmo no Aeroporto Rural De Brasília, que se situa na cidade de Luziânia, GO. Ao chegar a Luziânia com muitas saudades do filho que ele não viu crescer "Brasília", pediu para as pessoas ali presentes que o levassem em algum lugar que pudesse pelo menos vislumbrar ao longe a sua criação. Foi levado então para a Rodovia Braluz, KM 18, onde ele pode contemplar as luzes de Brasília ao entardecer.
    • Decidiu então adquirir uma fazenda nesta localização, conhecida como Fazenda Santo Antônio Da Boa Vista no ano de 1969, que já era um projeto estudado pelo Presidente em seu exílio. Ser fazendeiro no Planalto Central. Denominou então a propriedade como Fazendinha JK.


A Fazendinha JK foi adquirida pelo Ex-Deputado Estadual pelo Paraná, Lázaro Servo no ano de 1984, em uma negociação com a viúva do Ex-Presidente Dona Sarah Lemos Kubitschek, já com a intenção de preservá-la intacta, hoje Rosana Queiróz Servo e Antônio Henrique Belizário Servo desenvolvem esta função. A Fazendinha possuía originalmente 310 alqueires, que foram usados como laboratório agrícola por JK em uma parceria com a Embrapa, provando que o cerrado era produtivo. Produzindo na época eucalipto, café, milho, trigo, arroz, feijão e soja, este foi o último grande legado que Juscelino deixou para o Brasil. Hoje o cerrado é o celeiro agrícola do país.

O absurdo é que ainda não esta tombada, um marco da historia do pais que poderia ate virar cinzas se os atuais proprietários não tivessem o carinho e a responsabilidade de mante-la assim como o JK quiz.


A Fazendinha é um museu de alta relevância nacional, onde JK passou seus últimos anos de vida. Rosana Queiróz Servo e Antônio Henrique Belizário Servo tem preservado e tem atualmente um custo de manutenção e preservação altíssimo, como não são remunerados por nenhum órgão governamental, precisam da ajuda dos brasileiros, patriotas e orgulhosos de sua origem, assim como Juscelino foi durante toda sua existência, para quem quer ajudar e visitar a fazendinha jk entre no site https://fazendinhajk.com.br e veja a melhor opção, horário e localização.

Na realidade nosso atual Presidente JB pode se identificar no JK pela admiração que a Nação sente por ele em seu corajoso projeto de fazer o Brasil avançar e se tornar o que de fato ja è um pais auto-suficiente e produtor de 1/4 das riquezas deste planeta, distribuindo estas riquezas principalmente para os mesmos brasileiros.

Djávlon

Fonte: Memorial JK - Fazendinhajk - Twitter