Esquerda italiana usa ataque na Nova Zelandia politicamente

15/03/2019

Matteo Salvini, após os ataques indiretos da esquerda, tentando criar apoios indiretos com os terroristas, silencia a todos no massacre na Nova Zelândia: "Condeno e tenho absoluto desrespeito pelos infames assassinos, orações pelas vítimas inocentes, compaixão por aqueles que" é sempre culpa de Salvini ", escreve o ministro do Interior em um post em seu perfil no Twitter. 

Matteo Salvini
Matteo Salvini

Matteo Salvini @matteosalvinimi

Strage in #NuovaZelanda, condanna e disprezzo assoluto per gli infami assassini, preghiere per le vittime innocenti, compassione per quelli che "è sempre colpa di Salvini".

"Nós estamos perto as famílias das vítimas de Christchurch na Nova Zelândia. Aqui é onde o ódio e o racismo se arriscam a liderar a humanidade. Na história já aconteceu, nunca nos renderemos à violência". Nicola Zingaretti, leader da esquerda italiana com um post no Twitter, comenta sobre o massacre que ocorreu em duas mesquitas, onde ouve 49 mortes. O novo secretário do Partido Democrata apoiado por Alessandra Moretti, que no programa TV Agorà em Raitre ataca: "O massacre na Nova Zelândia é a filha do racismo. Nós políticos temos uma enorme responsabilidade e devemos ter muita atenção se com a nossa língua alimentarmos o ódio a distinção entre raças ". 

Um dos feridos no ataque terrorista
Um dos feridos no ataque terrorista

Em suma, a esquerda como de costume explora esses ataques levados a cabo por pessoas totalmente desequilibradas, para atacar as políticas do governo e do ministro Matteo Salvini em particular sobre a imigração. Confundindo respeito pelas regras com o racismo e instigando ao ódio, que na verdade é publicitado pela mesma esquerda, misturando programas de governo, com fascismo, racismo e terrorismo.

Estamos fartos deste tipo de ataque usando pessoas assasinadas por malucos, filhos das políticas malucas, para justificar ataques ao Ministro Matteo Salvini que tem nosso total apoio. Se isto esta acontecendo é por culpa de políticas erradas e jornais e TV loucos da esquerda provocando e publicitando situações inexistentes, estimulando reações de malucos de qualquer lado eles estejam.