Battisti volta a sua cadeia, a Itália agradece

14/01/2019

Dia 3 de janeiro dois dias após a posse de Jair Bolsonaro como Presidente do Brasil, o Deputado Estadual Eleito por São Paulo Oscar De Luca CASTELO BRANCO, e seu assessor o jornalista Andrea Ruggeri (DJÁVLON) diretor de nosso site, se reúnem em Brasilia, antes na Embaixada da Itália, com o Ministro Conselheiro Fernando Pallini Oneto di San Lorenzo, falando de Ordem e Progresso a nova associação dos quais os dois hóspedes são Vice Presidente e Presidente, de politica e de outros assuntos entre estes Battisti claramente. Uma hora depois a reunião aconteceu na Embaixada da Bolivia, com o Embaixador José Franco Kinn, aonde alem de cordialidade os três falaram dos mais de 100.000 bolivianos em São Paulo entre regulares e irregulares (tem quem diz que são mais), e de outros assuntos, entre estes justiça e colaboração internacional para a saída ao mar da Bolivia e as relações com o Brasil.

Dep. Castelo Branco, Min. Pollini e Andrea Ruggeri
Dep. Castelo Branco, Min. Pollini e Andrea Ruggeri

A coisa interessante e que somente nove dias depois Brasil, Italia e Bolivia são novamente relacionados no caso Battisti.

Dep. Castelo Branco, Embaixador Kinn e Ruggeri
Dep. Castelo Branco, Embaixador Kinn e Ruggeri

Nenhuma coincidência estranha, somente coincidência, mas aproveitando as coincidências, podemos agradecer a nome de todos a Itália que com sua persistência e ótima investigação (precisa agradecer seus chefes Lamberto Giannini, chefe do Antiterrorismo, e Nicolò D'Angelo, vice-chefe da Polícia do Estado e diretor central da Polícia Criminal e dos Serviços Internacionais de Cooperação Policial) entregando a eficiente Policia Boliviana o endereço do Assassino Battisti (precisa dizer que a policia italiana junto a israelense se tornaram as melhores do planeta), agradecer a Policia e o Governo da Bolivia que prontamente prenderam e entregaram o foragido a Italia, mostrando acima de qualquer coisa o comprometimento com a Justiça e abrindo duas portas com Itália e Brasil, muitos importantes para o futuro deste pais e enfim o Brasil, que com seu Presidente Jair Messias Bolsonaro, permitiu, antes, com suas declarações amplamente divulgadas por este site na campanha eleitoral e depois com o comprometimento do Governo Brasileiro a devolver o Assassino a Itália se tivesse sido preso, obrigando o ex Presidente Temer a conceder a extradição ao Battisti.

Ultima risadinha achando que iria para o Brasil tomar cerveja
Ultima risadinha achando que iria para o Brasil tomar cerveja

Afinal uma vitoria da comunidade italiana do Brasil (principalmente de direita) pelo apoio a Bolsonaro e pelas pressões na opinião publica brasileira, uma vitoria de Salvini, Vice Primeiro Ministro da italia e de Jair Bolsonaro que desde subito encontraram sintonia sobre este problema, uma vitoria da justiça e sim uma vitoria para Evo Morales Presidente da Bolivia, que mostrou a todos como se pode livrar de um pepino internacional, abrindo novas frentes de apoio internacional em poucas horas..

Pessoalmente este jornalista agradece também o empenho de nossa redenção que desde sempre, mesmo recebendo ataque da exponentes da esquerda brasileira e de jornais ligados a facções criminais, apoiou a solução de hoje, Cesare Battisti Assassino condenado a cadeia a vida, FINALMENTE na cadeia da Itália.

Já na Itália a risadinha esta deixando espaço a preocupação
Já na Itália a risadinha esta deixando espaço a preocupação

Agradecemos por isto nosso diretor Jornalista Djávlon, o Deputado Castelo Branco, o Embaixador da Bolivia no Brasil Jose Franco Kinn o atual governo do Brasil e da Bolivia e claramente o Vice Ministro Matteo Salvini que desde nossa solicitação na imprensa, não parou de acreditar que com Jair Bolsonaro no poder a Italia voltaria a dar justiça as familias das vítimas da fúria assassina do ex-terrorista, familiares que hoje falaram: "Estou feliz e um pouco animado, quando vi essas fotos e as imagens da chegada de Battisti o primeiro pensamento foi para meus pais, minha mãe esperou muito tempo para ver esse bandido ir para a cadeia, ela morreu também no dia em que Battisti matou Andrea, uma pena que ela não pudesse vê-lo sair daquele avião ", disse Maurizio Campagna, irmão de Andrea, um agente dos Digos mortos pelos Pacs em Milão em 1979. 

Torregiani (em cadeira de rodas graças a Battisti depois de ter matado seu pai) e Salvini
Torregiani (em cadeira de rodas graças a Battisti depois de ter matado seu pai) e Salvini

As feridas deixadas por Battisti ainda estão abertas e dificilmente vão fechar ....

Um agradecimento especial para Gabriela, Alessia, Antonello e Graça.