Arquitetos Italianos Construindo São Paulo

06/10/2018

ARQUITETOS ITALIANOS CONSTRUINDO SÃO PAULO, notas sobre a formação de uma identidade local. Coordenação: Giancarlo Latorraca (Diretor técnico do MCB)

Dia 09/10/2018 no ICC na Av.  Higienópolis, 436, entrada franca.

A importância que os estrangeiros têm desempenhado, desde o século XIX, na construção de São Paulo é conhecida. No entanto, poucos traçam a influência dessa arquitetura nos edifícios do antigo e moderno centro. A Itália é um destes países, e não somente na escultura (98% das esculturas ao ar livre em São Paulo são de artistas Italianos), o da arte plastica (aonde mais da metade dos influenciadores e patronos da arte eram italianos, sem contar os artistas), mas na Arquitetura e decoração dos edifícios da epoca, e mais modernos, a Italia não ficou pra traz.                                                                

Joana Mello é professora do Departamento de História da Arquitetura e Estética do Projeto - FAU USP. É autora dos livros "Ricardo Severo: da arqueologia portuguesa à arquitetura brasileira" (Annablume / Fapesp, 2005) e "O arquiteto e a produção da cidade: uma experiência de Jacque Pilon, 1930-1960" (Annablume / Fapesp, 2012). Jacque Pilon, 1930-1960" (Annablume/ Fapesp, 2012).

Pelo Site Itália alem do jornalista Djávlon, participarà o Arquiteto italo-brasileiro Alcindo Dell'Agnese Filho, um arquiteto que mudou o conceito de CDs, mas que também participou aos projetos mais ambiciosos do Brasil, sempre utilizando sua experiência e influencia italiana, como os megaprojetos. 

A influência arquitetônica italiana está presente em diferentes bairros da cidade de São Paulo, com uma forte presença nos bairros do Belenzinho, Brás e Mooca, onde no passado estabeleceram as vilas operárias para receber os imigrantes que chegavam na capital paulista.

Há mais de 100 anos foi criado no bairro do Brás, a Hospedaria de Imigrantes do Brás que seria a maior hospedaria da cidade São Paulo, criada para hospedar os imigrantes de diferentes nacionalidades, além dos italianos, que desembarcavam no Brasil para refazer suas vidas, trabalhando nas indústrias e lavouras de café. Projeto arquitetônico do edifício foi realizado pelo engenheiro Antonio Martins Haussler.

Alguns edifícios que você vai lembrar:

Edifício Matarazzo
Edifício Matarazzo

O Edifício Matarazzo, situado no Viaduto do Chá, o projeto foi revisado pelo arquiteto italiano Marcello Piacentini, a pedido de Francisco Matarazzo Júnior. Com arquitetura estilo neoclássico simplificado, utilizado na Itália nos anos 1930. Desde 2004 funciona como sede administrativa da Prefeitura de São Paulo.     

Nas imediações, na Rua São Bento esquina com a Avenida São João, encontra-se o famoso Edifício Martinelli, inaugurado em 1929, foi o primeiro arranha-céu da América do Sul. O edifício idealizado pelo empreendedor italiano Giuseppe Martinelli, e executado pelo arquiteto húngaro Vilmos Fillinger.

No percurso pela região, encontramos o Viaduto Santa Ifigênia, projetado pelos italianos Giuseppe Chiappori e Giulio Michetti, foi inaugurado em 1913. De estrutura metálica com linhas harmoniosas interliga o Largo São Bento e o Largo Santa Ifigênia.

Viaduto Santa Ifigênia
Viaduto Santa Ifigênia

O Teatro Municipal de São Paulo importante construção da região central, com decorações luxuosas, pinturas em ouro e imponentes escadarias. Projetado em 1903 pelos arquitetos italianos Claudio Rossi e Domiziano Rossi, foi inaugurado em 1911.

A obra Monumento a Carlos Gomes, do escultor italiano Luigi Brizzolara está situada em frente ao Teatro Municipal. Uma homenagem ao compositor da ópera "O Guarani", que em suas canções tinha a influência da música italiana.

Situado na Avenida Nazaré, o Museu Paulista conhecido também como Museu do Ipiranga, foi projetado pelo arquiteto italiano Tommaso Gaudenzio Bezzi, no ano de 1882. As obras começaram em 1885 e terminadas em 1889. Com estilo arquitetônico eclético, é rico em elementos decorativos. O Museu foi inaugurado em 7 de setembro de 1895. Atualmente está fechado, reabertura prevista em 2022 (Ano do bicentenário da Independência do Brasil).

Museu Paulista
Museu Paulista

O Monumento à Independência ou Altar da Pátria, foi idealizado e executado em 1920, no período do primeiro centenário da independência pelo arquiteto Manfredo Manfredi e o escultor Ettore Ximenes, ambos italianos. Construído em granito e bronze, foi inaugurado incompleto em 1922. O subsolo é aberto para visitação, onde há uma urna com os restos mortais de D.Pedro I e o tumulo de sua segunda esposa, D. Amélia.

Ai poderíamos escrever por mais de uma hora, mas o bom e participar diretamente terça feira 9 de outubro 2018 ás 19:00 horas, o ingresso é livre e o local; Instituto Italiano da Cultura (Istituto Italiano di Cultura) IIC na Av. Higienópolis, 436, não percam.

Fonte: