A descoberta dos murais de Dozza

19/03/2019

A Emilia Romagna é uma região a ser descoberta, não só pelas suas famosas cidades de arte e história ou pela vida noturna da costa, nem pela fantastica gastronomia, os carros famosos e as motos, mas também pelas pequenas aldeias que a tornam única. Você sabe, por exemplo, que existe uma aldeia dedicada a murais? Onde cada casa tem uma pintura que colore e conte uma história? Estamos falando do pequeno centro histórico de Dozza a poucos quilômetros de Imola.

Situado em uma posição panorâmica em uma das colinas mais lindas da Emilia Romagna, a cidade de Dozza deve seu nome à água. Na verdade, parece que no passado a aldeia foi chamada Ducia e, em seguida, Dutia ou Doccia e o mesmo emblema da prefeitura representa um grifo bebendo. De acordo com algumas descobertas preservadas na vizinha cidade de Imola, Dozza já tinha assentamentos na Idade do Bronze. Depois de vários eventos históricos e sucessões dos celtas aos romanos, até as invasões dos bárbaros, a aldeia viu a 'luz' por volta do ano 1000. Sempre conhecida pelo seu vinho local, foi este produto típico que fez a cidade florescer novamente. Alguns anos depois começou a construção das muralhas defensivas e da Rocca que, ainda hoje, pode ser vista na entrada da aldeia. Mas foi apenas sob o domínio de Caterina Sforza, senhora de Imola e Dozza, que a fortaleza foi reconstruída e virou o que vemos hoje.

Hoje, os salões internos do Rocca Sforzesca abrigam o Museu da Vida Rural, que conta a história e a economia da Emilia Romagna, e a Enoteca Regional da Emilia Romagna, que apresenta mais de 200 rótulos, incluindo vinhos, destilados e vinagre balsâmico. Alem da reprodução de um dragão famoso nas historias antigas da Rocca.

Os Murais

Assim que entrar na aldeia, não será capaz de não admirar a bela fortaleza com as suas torres colocadas para defender a cidade, mas a verdadeira maravilha reside quando entra no coração da aldeia. Perca-se entre as ruas de paralelepípedos e admire as mil cores da cidade que se tornou um verdadeiro museu a céu aberto. De fato, desde 1960 Dozza hospeda a Bienal de Arte Moderna do Muro Pintado que vê muitos artistas durante o mês de setembro, agora eles excederam 200, com a intenção de pintar suas obras de arte ao vivo nas fachadas das casas da vila medieval, sob a olhos de curiosos cidadãos e turistas.

Mas se você não tem como visitar Dozza durante um desses eventos especiais, os murais são sempre visíveis e, na verdade, talvez seja melhor caminhar na pequena vila e poder admirá-los com calma e com pouca gente!