Entrevista com Renata Buzzo

23/07/2018

Dia 24 amanhã terá desfile da Marca Renata Buzzo em São Paulo, no  Museu de Arte Contemporanea no Ibiraquera.

A empresária e estilista Brasileira Renata Buzzo é um caso único na moda nacional. Funde o conceito vegano com a alta costura, comanda sua marca homônima com ousadia e autenticidade.

Atenta às novas tendências, Renata assumiu o papel de influenciadora de sua próprio estilo de vida, chamando atenção com suas peças a nível nacional e internacional.

Após uma temporada em Vancouver (Canadá), onde participou ao FWV, Renata Buzzo conversou com Cris Vicente (nossa Especialista em Mercado da Moda e Luxo), sobre seu papel na moda nacional e internacional e como faz para manter-se relevante em tempos de alta rotatividade de imagens e idéias.

Como você vê o momento da moda hoje no Brasil e no mundo e como a Renata se encaixa?

Eu sinto que a moda brasileira está num constante "recalcular rota", existe uma eterna busca por identidade mas talvez essa identidade seja exatamente não ter uma, é interessante pensar que a nossa moda assim como a nossa população é fruto de muitas influências, muita miscigenação.

O Brasil é uma colcha de retalhos e a moda deveria acompanhar esse pensamento.

A Renata não se encaixa, eu trilho um caminho muito próprio, muito meu e evito seguir uma cartilha, eu faço coleções sobre a minha vida, sobre minhas percepções como indivíduo, não consigo me distanciar pra analisar com frieza de que forma eu contribuo nesse contexto todo.Eu realmente não sei.

Foto: Vinicius Postiglione
Foto: Vinicius Postiglione

O que te levou a unir o conceito vegano com a alta costura? 

Eu não faço alta costura genuína por questões burocráticas e de localização (eu não tenho um endereço europeu infelizmente) mas a minha costura se aproxima sim em termos de técnica e o que me levou a unir esses dois universos foi que por um lado era o que eu sabia fazer (eu tinha estagiado com um estilista famoso do ramo de festa) e por outro lado eu tinha o veganismo como filosofia e estilo de vida.

E ambos são conflitantes porque em moda festa se usa muita seda, pérolas e produtos de origem animal e eu não queria usar esses materiais, então passei a buscar e pesquisar alternativas em termos de matéria prima que viabilizassem criações com a mesma qualidade de uma seda sem precisar usar nada de origem animal.

Passei a criar essas peças e comunica-las como veganas por volta de 2013 quando pouco se falava de veganismo no Brasil, doava vestidos pra leilões de arrecadação de fundos pra ONGs de proteção animal,revertia verba pra bicho o tempo inteiro, integrei por um tempo uma comissão de averiguação de maus tratos contra animais, passei a me engajar nesse universo e a mesclar os dois mundos o tempo inteiro.

Conhecer o cliente, criar, confeccionar ou entregar; qual a etapa mais divertida do seu trabalho? 

Criar.

A minha cabeça não desliga, eu crio até dormindo, perdi as contas de quantas vezes acordei no meio da madrugada pra anotar ideias.

A parte de lidar com o cliente pra mim é a mais difícil.

Seu melhor defeito?

O meu melhor defeito...(eu gostei dessa pergunta, eu costumo me orgulhar de alguns defeitos meus.) O meu melhor defeito é ser "come quieto" é uma expressão do Brasil pra designar aquele sujeito observador, na dele, que não garganteia feitos, não fica se vangloriando de nada, tudo que eu tenho que fazer eu planejo e executo sem alarde, sem anúncio e eu quase sempre chego aonde quero "pelas beiradas".

Sua pior qualidade?

Minha pior qualidade é o perfeccionismo, eu sou muito ligada nos acabamentos dos meus produtos,tem que estar impecável,é minha pior qualidade porque eu me cobro muito e espero o mesmo nível de quem trabalha pra mim.Nessas horas me torno um pouco difícil de conviver.

Renata Buzzo - Instagram
Renata Buzzo - Instagram

Novos projetos! Quais os caminhos que você anseia trilhar e o que podemos esperar da marca? 

Estou estruturando a marca pra mesclar o conceito com o lado comercial que ainda é modesto na marca, eu andava focando só na roupa de passarela, no conceito dos desfiles e deixei a parte do comercial um pouco de lado.

Estou me regrando pra mudar isso.

Quero incorporar acessórios, bolsas, sapatos e peças comerciais além das peças conceito que eu vou continuar fazendo mas agora em menor quantidade.Mas estou indo com calma,não tenho a menor pressa até porque a minha profissão tem muita longevidade,a gente trabalha até os 90.

Dolce & Gabbana, Armani, Roberto Cavalli ... qual é sua referência na Alta Costura Italiana?

Gucci! Eu amo o que o Alessandro Michele fez na marca.

Qual é seu prato italiano preferido? sendo Buzzo um sobrenome italianíssimo?

Massa corre na minha veia, meu avô paterno do qual eu herdei o sobrenome, Rubens Buzzo era um ótimo cozinheiro e as minhas memórias de infância da gente (os netos) em volta dele enquanto ele sovava massa e ralhava com a gente eu vou levar pra vida e ainda faço uma coleção sobre isso um dia.

Mas o meu prato preferido é lasagna, versão vegana claro.

Desfile da estilista Renata Buzzo no Projeto Lab da 41ª Casa de Criadores (verão 2018)